Da série “Coisas que eu não entendo (e são muitas)”

São coisas que a gente, modernos, citadinos, os modelos perfeitos de como viver bem da classe média, não entende. E nem vai entender caso queiramos ser cada vez mais civilizados.
“Cerca o peixe,
bate o remo,
puxa corda,
colhe a rede,
ô canoeiro
puxa rede do mar”
“No Abaeté tem uma lagoa escura
Arrodeada de areia branca
[…]
O pescador
Deixa que seu filhinho
Tome jangada
Faça o que quisé
Mas dá pancada se o seu filhinho brinca
Perto da Lagoa do Abaeté
Do Abaeté”
-

Capa do disco "Caymmi e seu violão"
Voz de trovão
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s